Sexta, 28 Abril 2017 07:54

Misericórdia, o remédio diário para nossas dores e a vitamina para nossas fraquezas.

A misericórdia de Deus é descrita em vários textos bíblicos, tanto do Antigo como do Novo Testamento. Sua misericórdia se renova a cada manhã (Jr, 3,22), Edição Peregrino, 2011. Sua misericórdia é consolo (Salmo 119,76), é ternura (Lc l,78), é abundante (1 Pd 1,3), é rica (Ef 2,4), é eterna (Sl 117,1), se estende de geração em geração (Lc 1,50), Edição Ave Maria, 1993.

Também a Igreja Católica, através de seus filhos ao longo dos séculos recebeu muitas mensagens sobre a misericórdia de Deus e a transmitiu ao mundo. Podemos destacar alguns filhos prediletos que falaram sobre este tema tão próximo de nós. Santa Faustina, mística e mestre espiritual da Igreja, São João Paulo II que instituiu a Festa da Misericórdia, e tantos outros que não cabe aqui citar.

No Latim, misericórdia, é a união de duas palavras: Miser e Cordis, ou coração de pobre, coração aflito, coração sofredor. Significa a miséria humana, não no sentido de pobreza material e sim de miséria espiritual, egoísmo, de sofrimento e toda espécie de pecados e Córdis (coração de Jesus), ou seja, misericórdia é toda a miséria, a sujeira que o ser humano é capaz de produzir, todo o mal, todo o sofrimento, aflição que é mergulhada no coração de Jesus rasgado na Cruz pelos nossos pecados. Então podemos compreender que misericórdia é a miséria humana mergulhada no coração de Deus. (Texto retirado do Livro: O Amor capaz de sacrifícios e a misericórdia, de Márcio Ribeiro).

A vida humana necessita da misericórdia de Deus. No dia a dia surgem acontecimentos simples e complexos que exigem decisões e posicionamentos, assim em muitas situações o tempo demonstra que a melhor decisão não foi tomada, de modo que pessoas sobrevivem com pesados fardos, sentimentos de culpa e condenação; ambos gerando no interior sofrimento e angústia.

Ainda as pessoas cada dia mais perdem o controle de suas palavras, de seus sentimentos e emoções facilmente, promovendo descontroles e nervosismos que produzem desentendimentos e discussões desnecessárias.

Conforme aponta o Papa Francisco na Bula Misericordiae Vultus, referente à Proclamação do Ano Jubilar da Misericórdia, que é traduzido como a “Face da Misericórdia de Deus”, esta face da misericórdia do Pai se fez perceber na pessoa do Messias, ou seja, Jesus acolhe o ser humano com suas fraquezas, seus descontroles, suas irritações e nervosismos, e a misericórdia de Deus se torna o remédio para as dores interiores diárias, e a vitamina para fortalecer a fraqueza humana.

Portanto no dia de hoje procure tomar uma boa dose de misericórdia e viver mais leve, com mais força, recomece a sua vida com a misericórdia a seu favor.

“Aproximemo-nos, então, com segurança do trono da graça para conseguirmos misericórdia” (Hb 4,16) Edição Jerusalém 2008.

 

Márcio Ribeiro

Coordenador Diocesano

Lido 498 vezes